SEM MIM NADA PODEIS FAZER

Reconheçamos que precisamos da ajuda de Jesus!

Porque separados de mim vocês não poderão fazer coisa alguma.

Jesus (João cap. 15, ver. 5)

A palavra autossuficiente assim se define:

Que vive de maneira independente; que não precisa de apoio, ajuda, auxílio; independente, livre.

https://www.dicio.com.br/autossuficiente/

Se houve alguém nesse mundo que não precisaria de ninguém, independente da situação, este alguém se chamava Jesus de Nazaré. Como Deus encarnado, perfeito, sem pecado, e nuca tendo achado engano em seus lábios, fazia o que era correto. Um homem de exemplo.

Ele recebeu uma grande missão:

Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.

Jesus (Lucas cap. 19, ver. 10)

Mas, apesar de todas as prerrogativas que possuía, Jesus não ousou executá-la sozinho. Apesar de ter total condições. Como a Bíblia mesmo diz dele:

Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra. Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.

Autor sacro(Salmos 91.11-13)

Mesmo conhecendo suas potencialidades o mestre convidou 12 pessoas para estar ao seu lado e lhe ajudar a cumprir sua missão. Que exemplo de humildade! Seu objetivo foi alcançado com a colaboração de muitos, não apenas 12. Em certa ocasião Jesus enviou 70 discípulos aos lugares que ele “tencionava visitar mais tarde” (Lucas cap. 10, ver. 1). Ou seja, Jesus os enviou para, assim como João Batista, preparar-lhe caminho.

Agora, olhemos para nós mesmos; para nossa insuficiência; para nossa limitação. Quem somos? O que temos? O que podemos? Se Jesus, sendo o verbo encarnado, como homem precisou de ajuda; o que nos resta?

A videira e os ramos

Para mostrar a sua importância na nossa vida Jesus se comparou a uma videira e a nós, ramos. E ilustrou, dessa forma, a impossibilidade de alguém vencer na vida ou desfrutar do melhor dessa terra sem a sua ajuda. Pois, assim como é impossível a um ramo dar fruto sem estar ligado à videira, também é impossível frutificarmos, dar algum resultado sem a sua colaboração.

Numa linguagem bem atual diríamos que nossa sociedade não prospera enquanto Jesus não fizer parte dela. Sim. Não é qualquer ajuda. É apenas a dEle! Nada dará certo em nossa vida se o Senhor não estiver fazendo parte dela. Sua ajuda é infalível, seu conselho insondável, sua amizade é tudo, sua companhia formidável.

Pense nisso.

IMPRESSIONE JESUS COM SUA FÉ

Vivemos numa época de muito ceticismo e duvidamos de tudo um pouco. A história do centurião de Cafarnaum nos diz que devemos viver na certeza do poder de Deus, se queremos receber seus milagres.

Mateus 8.5-13

O texto em apreço narra um diálogo entre Jesus e um capitão do exército romano, por sinal de muito respeito e de um sentimento de humildade, uma vez que vai ao encontro de Jesus suplicar-lhe favor por um criado. Este, acamado, paralítico e sofrendo muitas dores.

Esse oficial rompe a distância, a vergonha, o medo, não se esconde por trás da posição que ocupa e, diferentemente do arrogante Naamã (2Rs 5.11), que esperava ser recebido e bajulado pelo profeta Eliseu, o centurião romano se humilha diante de Jesus e reconhece a autoridade suprema do Mestre.

Sua posição e seu status social foram considerados por esse militar como nada, algo sem valor e nenhuma utilidade diante do favor imerecido de Deus. É como se ele soubesse o que seria escrito na epístola:

Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.

Tiago 4.6b
Jesus e o centurião de Cafarnaum

Nossas conquistas, diga-se de passagem, o que temos é dado e não conquistado. É o Senhor quem nos confere dádivas pela sua infinita misericórdia (Salmos 116) e não nós que as alcançamos pela nossa própria força.

Mas a maior virtude do centurião ainda está por vir. Quando Jesus decide ir até sua casa curar seu criado ele imediatamente reconhece que tal atitude não era preciso. Além de se achar indigno de receber Jesus ele cria com toda sua força no poder da Palavra do Senhor. A frase “dize somente uma palavra, e o meu criado sarará” (v. 8) deixou Jesus impressionado.

Ele não precisava ver para crer, mas cria independente de ver. Sua fé era prática e não teórica. Era verdadeira, não mentirosa. Sincera, não falsa. Como está escrito:

Que é a fé? É a convicção segura de que alguma coisa que nós queremos vai acontecer. É a certeza de que o que nós esperamos está nos aguardando, ainda que o não possamos ver adiante de nós.

Hebreus 11.1 (VIVA)

Se queremos receber os milagres de Deus impressione Jesus com sua fé.

%d blogueiros gostam disto: